INFORMATIVONOSSONEWS . . .

online

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

INN - DIREITA GOLPISTA EM POLVOROSA, DILMA SOBE NO IBOPE E O RESTO CAI !

Dilma abre 22 pontos sobre Marina e venceria eleição no 1º turno


Se a eleição fosse hoje, Dilma Rousseff (PT) venceria ã disputa para a Presidência da República em 2014 ainda no primeiro turno e seria reeleita para o período 2014-2018, de acordo com pesquisa divulgada nesta quinta-feira (26), encomendada pelo jornal O Estado de S.Paulo ao Ibope. Em todos os cenários estudados, Dilma tem intenção de voto superior à soma de seus três principais adversário nas urnas no ano que vem.
A presidente tem 37% contra 32% no cenário com Serra e 38% contra 31% contra Aécio.  A pesquisa indica que a presidente Dilma   (PT) possui 22 pontos percentuais de vantagem sobre a segunda colocada, Marina Silva (sem partido e que tenta criar a Rede Sustentabilidade). Em julho, essa diferença era de 8 pontos.
O levantamento do Ibope indica que a presidente registrou crescimento na intenção de voto nos dois cenários estimulados pelo Ibope, enquanto Marina perdeu seis pontos. Agora, a ex-senadora está não só distante de Dilma, mas também sofre a ameaça dos outros candidatos.
Quando o cenário das eleições considera Dilma Rousseff (PT), Aécio Neves (PSDB), Marina Silva (sem partido) e Eduardo Campos (PSB) como candidatos, a presidente tem 38% das intenções de voto — em julho, ela tinha 30%. Já Marina registrou uma queda de 22% para 16% agora, segundo o Ibope.
O tucano Aécio Neves oscilou de 13% para 11%, enquanto Eduardo Campos foi de 5% para 4%. A taxa de eleitores sem candidato continua alta: 31%, sendo que 15% deles dizem que votarão em branco ou anularão, e 16% não sabem responder.
Já o segundo cenário, que considera José Serra como candidato do PSDB, praticamente não traz diferenças relevantes. Neste recorte, Dilma tem 37% das intenções de voto, contra 16% de Marina, 12% de Serra e 4% de Campos. Outros 30% dos eleitores não têm candidato, sendo que 14% dizem que votariam em branco e nulo, e 16% de não sabe. O Estadão/Ibope informou que não há cenário similar anterior para comparação.
A pesquisa do Ibope foi feita entre os dias 12 e 16 de setembro, em todas as regiões do Brasil. Ao todo, 2.002 eleitores foram entrevistados. A margem de erro máxima é de 2 pontos porcentuais, para mais ou para menos, num intervalo de confiança de 95%.
Segundo turno
Caso Dilma e Marina fossem para um eventual segundo turno hoje, a presidente venceria a ex-senadora nas urnas por 43% a 26%. Logo depois das manifestações de rua de junho, Dilma e Marina estavam tecnicamente empatadas: 35% a 34%, respectivamente. Esta pesquisa foi feita em julho.
Contra os possíveis candidatos do PSDB, Dilma também venceria, independentemente de ser Aécio ou Serra. De acordo com o Ibope, se a eleição fosse hoje, a petista teria contra ambos 45% a 21% num segundo turno.Por fim, contra Eduardo Campos no segundo turno, a vitória seria por 46% a 14%.

LEIA MAIS EM
http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com.br/

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Dia Nacional do Doador de Órgãos


O Dia Nacional do Doador de Órgãos é comemorado no dia 27 de setembro. Para celebrar a data, o governo do Estado, por meio da Central de Notificação, Captação e Distribuição de órgãos (CNCDO) do Hospital das Clínicas do Acre (HC), realiza, de 23 a 27 de setembro, várias ações educativas no intuito de sensibilizar e conscientizar a população a respeito da importância da doação.
Palestras em escolas e órgãos públicos, distribuição de materiais educativos, caminhadas e a realização de uma missa, são algumas das atividades que serão desenvolvidas ao longo da semana.
Continue lendo

Energia em Cena leva cinema a céu aberto, gratuito, para Tatuí

Segue a programação do Energia em Cena em Tatuí. Com duas sessões gratuitas de cinema nacional, a sala de cinema ao ar livre viaja pelo interior de São Paulo, foi idealizada pelos cineastas Lais Bodanzky e Luiz Bolognesi, atingiu um público de 60 mil espectadores de espectadores em 2012. O Energia em Cena chega a Tatuí nos dias (24 e 25.09) com sessões gratuitas de cinema nacional. 
Energia em Cena leva cinema a céu aberto,
gratuito, para Tatuí
                                                                                                                          
Com patrocínio do Instituto Elektro, o cinema itinerante exibe
filmes nacionais nos dias 24 e 25.09 em Tatuí

O Energia em Cena, projeto idealizado pelos cineastas Laís Bodanzky e Luiz Bolognesi (Bicho de Sete Cabeças, As Melhores Coisas do Mundo, Chega de Saudade e Uma História de Amor e Fúria), leva cinema ao ar livre e gratuito para a população. Patrocinado pelo Instituto Elektro, percorre o interior do país, exibindo filmes nacionais. O projeto visita Tatuí na terça-feira e quarta-feira (24 e 25.09).

Com uma programação voltada para toda família, exibe os filmes Peixonauta – Agente Secreto da O.S.T.R.A, Homem do Futuro, Turma da Mônica – Uma Aventura no Tempo e À Beira do Caminho em duas sessões diárias, às 19h00 e 20h30. O cinema possui 300 lugares. A projeção é digital em uma grande tela inflável e som stereo surround. Lançado em 2011, o Energia em Cena já passou por mais 170 cidades e atingiu um público superior a 125 mil pessoas.

Sobre o Cine Tela Brasil – Primeiro projeto de cinema itinerante criado pelos cineastas Laís Bodanzky e Luiz Bolognesi, o Cine Tela realizou, desde 2004, mais de 5.000 sessões gratuitas de cinema, e atingiu em 2012 a incrível marcar de um milhão de expectadores. Com a taxa de ocupação da sala em 88% - a maior do país – já exibiu 93 filmes nacionais.

Sobre o Instituto Elektro - O Instituto Elektro, foi criado em 2003, qualificado como uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), com o objetivo de desenvolver programas e projetos sociais, em três áreas de atuação: Educação, Voluntariado e Meio Ambiente. Certificado pela ISO 9001 desde 2005, o Instituto Elektro tem como compromisso contribuir para o desenvolvimento de diversas comunidades atendidas pela Elektro e do entorno da sua Sede Corporativa.



segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Da Justiceira de Esquerda - Paulo Moreira Leite esclarece - EMBARG não é novo julgamento !

"Os embargos não representam um novo julgamento, como se diz, num esforço para impressionar o cidadão menos informado, mas um último recurso num julgamento que não permite aos réus nenhuma apelação", informa o jornalista Paulo Moreira Leite, diante do mar de desinformação promovido por forças que visam eliminar garantias legais, em nome de interesses políticos
16 DE SETEMBRO DE 2013
247 - Diante do mar de desinformação promovido por parte da imprensa brasileira, apontando que a admissibilidade dos embargos abrirá um "novo julgamento", o jornalista Paulo Moreira Leite esclarece. Trata-se apenas de um recurso ordinário de defesa, num julgamento em que os réus – muitos deles sem foro privilegiado – não tiveram direito a nenhuma apelação. Leia abaixo:
Depois de quarta-feira
Os embargos não representam um novo julgamento, como se diz, num esforço para impressionar o cidadão menos informad
Paulo Moreira Leite
Supondo que Celso de Mello confirme seu voto nesta quarta-feira, e não há nenhum motivo para imaginar o contrário, cabe debater o que acontece em seguida.

Capazes de sustentar, em tom reverencial, que o Supremo Tribunal Federal tem a última palavra sobre tudo, inclusive o “direito de errar por ultimo,” é evidente que os meios de comunicação terão um papel importante para ajudar a população a compreender o que se passa. Podem cumprir seu papel ou não. 

Se derem um tom apocalíptico à decisão, irão confirmar a visão de quem diz que têm um compromisso condicionado e tendencioso em relação ao STF. Apóiam o tribunal quando este toma decisões de acordo com sua própria opinião e seus interesses. Mas tornam-se críticos radicais quando os ministros decidem de forma contrária a seus pontos de vista.
Será uma reação provinciana e lamentável. 
Se o tribunal decidir, por 6 votos a 5, que deve aceitar os embargos infringentes, nada mais fará além de acabar as regras da legislação em vigor – confirmadas, em 1998, quando a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara debateu sua extinção e resolveu mantê-los. 
Não há nem pode haver qualquer dúvida a respeito dessa verdade fundamental, revelada pelo Globo na sexta-feira. A rigor, ministros que votaram contra o embargo na presunção de que a lei é omissa ou que a supressão destes recursos estava implícita podem ser estimulados a nova reflexão. 

Os embargos não representam um novo julgamento, como se diz, num esforço para impressionar o cidadão menos informado, mas um último recurso num julgamento que não permite aos réus nenhuma apelação. Eles podem ter penas diminuídas em alguns crimes. Podem até serem absolvidos nestes mesmos crimes. Mas só caberão embargos nos casos em que o réu recebeu quatro votos favoráveis. Num plenário com 11 ou 10 ministros, isso quer dizer que estiveram a um voto de absolvição. É pouco? 

O argumento de que o debate sobre embargos podem prolongar-se indefinidamente não deve ser levado a sério. Quem define o ritmo dos trabalhos é o Supremo, que hoje segue a rotina que considera adequada a sua função. Se a prioridade é tempo, seria possível alterar aumentar uma jornada que hoje permite três sessões por semana, sempre às tardes. Ou apenas duas sessões por semana, como ocorre às vezes. Iniciando os trabalhos às segundas para encerrar às sextas, seria possível ganhar o dobro de velocidade. Se isso não for suficiente, seria possível iniciar o expediente pela manhã. Os ministros também poderiam abrir mão de suas férias de 60 dias e, antecipando o retorno ao descanso, acelerar ainda mais a produtividade nas decisões. Já que temos ministros capazes de se dizer preocupados com o contribuinte, seria uma boa forma de responder a esse problema, não? 

Por trás dos prazos o que se questiona é o saldo político da aceitação dos embargos infringentes.
Num julgamento normal, é normal que a acusação tenha suas vitórias e a defesa também acumule as suas. Esta é graça da Justiça, que reside no equilíbrio. Não foi assim na AP 470. 
Os embargos, se confirmados, irão representar uma primeira vitória relevante dos réus desde agosto de 2002, quando o julgamento teve início. Até aqui, todas as solicitações e pedidos dos réus foram rejeitados, muitas vezes por larga margem. Até documentos que poderiam servir a determinados condenados para provar sua inocência foram mantidos em caráter secreto. Investigações paralelas, com repercussão sobre o caso, foram mantidas em segredo, também. 

As penas, enormes, foram resolvidas numa espécie de clube do Bolinha jurídico, onde só eram admitidos ministros que estavam convencidos da culpa dos réus, o que favoreceu sentenças pesadas, que não refletiam o pensamento do conjunto. Aposentado no meio do julgamento, Cezar Pelluso definiu suas penas por escrito, em geral mais leves. Foram ignoradas, no computo final, quando poderiam ter jogado a média para baixo. 

Neste ambiente, onde a preocupação em impedir que os réus recebessem o benefício – legal e constitucional – da prescrição, muitas penas foram agravadas de modo desproporcional, como denunciou o ministro Ricardo Levandovski. No caso de José Dirceu, o crime de formação de quadrilha foi agravado em 75%. No de José Genoíno e Delubio Soares, em 63%. 

A ironia é que, agora, o feitiço, pode virar-se contra os feiticeiros. Se acabar absolvido da altíssima pena por formação de quadrilha, Dirceu passa do regime fechado para o semiaberto. 

Qualquer que venha a ser o saldo jurídico dos embargos depois que os pleitos de cada réu for examinado, e é bom não perder dinheiro em apostas a respeito, já se pode ter uma noção de seu valor político se forem aprovados. 

Essa vitória, se confirmada, dará aos condenados um discurso novo. Até agora, o julgamento avançou da pior forma possível para eles. Se tivemos um total de quase 60 sessões, seus advogados só puderam ser ouvidos uma vez, durante duas horas, na abertura dos trabalhos, E nunca mais. Alegações graves e decisivas, que questionavam vários pontos da denúncia, sequer foram considerados. Pelos votos dos ministros, pode-se perceber que memoriais oferecidos durante o julgamento não foram respondidos com o cuidado que mereciam. 

O embargo infringente não significa que o STF concorda com as alegações dos condenados – apenas, que se recusou a rejeitar um direito reconhecido em lei. Nas circunstâncias tão difíceis para os réus, é uma vitória. 

Em vez de alegar que foram vítimas de um julgamento injusto, os condenados poderão sustentar essa opinião com um fato inquestionável: a maioria do STF não concordou com a tese de quem pretendia impedir que fossem ouvidos uma segunda vez. 

Quem se der ao trabalho de ouvir a defesa, prestar atenção a seus argumentos e contraprovas, poderá formar uma opinião mais fundamentada sobre o caso. Silenciados, os réus recuperam o direito de voz. 

É por essa razão, na verdade, que as próximas 72 horas nossos conservadores menos tudo farão para mudar o voto de Cesar de Mello. 

Numa postura troglodita, perderam qualquer pudor jurídico para agir abertamente a favor de suas próprias conveniências políticas. 

Traem a fraqueza de seus argumentos ao demonstrar receio de abrir a discussão na forma em que a lei prevê. 

É lamentável mas compreensível. Temem que qualquer ruído no discurso do mensalão pode deixar a oposição sem palanque em 2014. 

Mas o país está vendo. Em nome de interesses eleitorais, pretende-se atacar garantias legais. É um comportamento que envergonha todo brasileiro que aprendeu o valor de direitos democráticos, após tantos ataques à liberdade sofridos em nossa história.
Postado há por

sábado, 14 de setembro de 2013

VIPCOMM NEWS 2013 - ARENA CROSS NA TV NESTE DOMINGO, NÃO PERCAM !

 
RedeTV! exibe neste domingo (15) programa especial da terceira etapa do Arena Cross

Canal de tv aberta mostra bastidores e o que de melhor aconteceu nas corridas em Goiânia (GO)
 
São Paulo (SP) – O canal de TV aberta, RedeTV!, exibe neste domingo (15) um especial da terceira etapa do Arena Cross 2013, ocorrida no dia sete de setembro, em Goiânia (GO). O programa, que vai ao ar das 13h às 13h30, mostrará todos os detalhes do evento que contou com mais de sete mil pessoas na área externa do Flamboyant Shopping Center e que levantou as arquibancadas em pegas emocionantes.

O especial terá entrevistas, bastidores e os principais momentos das cinco categorias da competição.

Adam Chatfield, na MX Pró, e Paulo Alberto, na MX2, venceram a etapa e seguem na liderança das categorias. Quem também saiu com a vitória foi Enzo Lopes, na Júnior, e Leonardo Nunes, na 65c, que estão em primeiro no campeonato. Diogo Nascimento comanda a 50cc.

O Arena Cross 2013 é apresentado pela Honda, tem patrocínio de Mobil; copatrocínio de Pirelli, Yamaha, Bieffe Racing, Consórcio Nacional Honda, Iveco, Monster Energy, XMotos, IMS Racing e A Revista da Moto!. Apoio da SIC (Secretaria de Estado de Indústria e Comércio), Governo de Goiás, Flamboyant Shopping Center, rádio Interativa FM, Plaza Inn San Conrado e CBM (Confederação Brasileira de Motociclismo).

Confira todas as informações do Arena Cross 2013 no site oficial, Twitter e Facebook:
Assessoria de imprensa Arena Cross
Sala de imprensa virtual: www.vipcomm.com.br/arenacross
Telefone: (11) 3893-1010

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Do Com texto Livre - TUKANOS HONESTOS RECEBERÃO TREINAMENTO PARA MONITORAR ADVERSÁRIOS !

PSDB receberá treinamento para monitorar adversários

O curso deve ocorrer no sábado, 14, para 200 "militantes digitais" do PSDB
FHC: segundo Brusadin, ministrador do curso, um dos principais ataques encontrados na redes sociais contra tucanos é em relação ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso
Brasília - Integrantes do diretório estadual do PSDB em São Paulo preparam um curso para os correligionários aprenderem a monitorar ações dos adversários nas redes sociais e detectar reivindicações de internautas que poderão ser inseridas nos programas do partido.
A legenda contratou para um aula de oito horas Maurício Brusadin, ex-presidente do PV em São Paulo e integrante da campanha de Marina Silva à presidência em 2010. O curso deve ocorrer no sábado, 14, para 200 "militantes digitais" do PSDB.
"Evidente que, se eu disser que não vamos monitorar ações dos adversários, estaria mentindo. É evidente que serão monitoradas as ações porque a rede se tornou um lugar um pouco sujo. Há muitas agressões. Já estou com o monitoramento ligado ao PSDB a algum tempo e há muitas agressões com banners, vídeos, textos com todos assuntos possíveis", disse Brusadin ao Broadcast Político, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado.
Segundo ele, um dos principais ataques encontrados na redes sociais contra os tucanos é em relação ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.
"Tem um nicho muito grande, que deve ser do PT, que fica comparando o governo do Fernando Henrique com o governo do PT e com uma série informações que não procedem. São banners comparativos desses governos, mas jogando sempre a questão do governo Fernando Henrique para baixo. Do ponto de vista estadual, grande parte das agressões é com relação ao governador Geraldo Alckmin (de São Paulo) com banners que beiram inclusive a baixaria", afirmou.
Para Brusadin, apesar da divulgação de possíveis "inverdades" na web, recorrer à Justiça não será a orientação inicial. "Eu sempre acho que a via judicial na internet é o pior dos mundos porque você dá mais publicidade. O melhor caminho é a militância tucana (sic) estar ativa e, ao estar ativa, poder responder sem bate-boca, sem entrar num jogo de uma briga doméstica", considerou.
Além do monitoramento das atividades dos adversários, outro objetivo do curso será o de discutir o poder da comunicação em rede. "Não podemos ir para a rede com a cabeça de comunicação de massa. É uma central de relacionamento de conteúdo, de causas para ouvir, para dialogar, para discutir", afirmou.
"Tão importante quanto buscar a maneira como você age na rede é entender a rede. Infelizmente os partidos políticos já trabalham com a rede como se ela fosse um veículo de comunicação de massa", acrescentou.
 
LEIA MAIS EM

Do Terror do Nordeste - Marina Silva viajou no tomate



A sonsa, lambisgoia Marina da Silva parece que vive no mundo da lua.Segundo a aliada de Marcos Feliciano, o Brasil corre o risco de perder conquistas econômicas já alcançadas, e deu exemplo:"por exemplo, no aspecto do controle da inflação: temos o risco de retorno da inflação. "Que retorno de inflação é esse estrupício, piolho-de-_ _, ameba? 
Ao que consta, a inflação vem caindo paulatinamente, só essa amostra grátis de grilo não enxerga.Até o famoso tomate, usado como vilão da inflação pela paquiderme Ana Maria Ameba, caiu.
A semana passada comprei tomate por 0,90 centavos, muito menos que antes do pique inflacionário do tomate.Mas não foi só o tomate que caiu de preço, vários produtos estão hoje mais baratos que antes da inflação.Se é assim, de onde Marina tirou essa ideia estapafúrdia que a inflação vai voltar? 
É por essa e outras que ninguém confia nessa senhora para governar o Brasil.
 
Pede pra cagar e sai, Marina!

Do Aposentado Invocado - PSDB x SIEMENS = Maior espetáculo de corrupção de todos os TEMPOS.

https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=GUPlv2wQLg0


terça-feira, 10 de setembro de 2013

INN - Chorem reaças, voces perderam de novo !

A Corrupta sangra! 

Em um eventual segundo turno. Dilma vence em todos os cenários. 

Contra Marina Silva, Dilma teria 40,7% dos votos, vencendo a adversária, que teria 31,9%. 

Dilma teria 44% dos votos contra 24,5% de Aécio Neves, e 46,7% contra 16,8% de Eduardo Campos. 

A aprovação do desempenho pessoal da presidenta Dilma Rousseff também melhorou neste mês, subindo para 58,0, ante 49,3% em julho.


Os pesquisadores também consultaram os entrevistados sobre em quem votariam em um eventual segundo turno. Dilma vence em todos os cenários. Contra Marina Silva, Dilma teria 40,7% dos votos, vencendo a adversária, que teria 31,9%. Dilma teria 44% dos votos contra 24,5% de Aécio Neves, e 46,7% contra 16,8% de Eduardo Campos.

Se o segundo turno fosse excluísse Dilma, Marina Silva venceria Aécio Neves (39% contra 22%) e Eduardo Campos (45% contra 12,5%). Já na disputa entre o tucano e o pessebista, Aécio levaria a melhor, com 30,9% contra 14,9% de Campos.
Os entrevistados foram questionados ainda sobre qual partido gostariam de ver na Presidência da República a partir de 2015. A principal resposta dos entrevistados foi "não sabe/não respondeu", opção de 39,1%, seguida por "nenhum", com 26,56%. O PT foi o mais lembrado, com 21,9%; seguido pelo PSDB, com 4,5% e pelo PMDB, com 3,1%. O partido de Marina Silva, Rede Sustentabilidade, ainda não foi oficialmente criado e não aparece na pesquisa.

Rejeição e limite de voto

A pesquisa CNT/MDA sondou os entrevistados sobre a rejeição e o limite de votos dos candidatos.
Dilma é a pré-candidata mais conhecida (apenas 0,8% declaram que não a conhecem), mas também a mais rejeitada: 41,6% não votariam na presidente de jeito nenhum.
A rejeição de Marina Silva ficou em 30,8%; contra 36,8% de Aécio e 33,5% de Campos.
O pré-candidato mais desconhecido é Eduardo Campos -- 34,7% declaram não conhecer o governador de Pernambuco. 

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

INN - TUKANISTÃO " SOFRERÁ OBRAS PRÉ ELEITORAIS ", CHUCHÚ VAI GASTAR MUITO COMO SEMPRE !

Geraldo joga pesado por um novo mandato
(Foto; Marcelo Camargo/ABr)
O governador paulista, Geraldo Alckmin, informa a Folha, pretende "destravar" os investimentos do Estado para que deslanchem no ano que vem.
Isso, pelo menos, é o que diz o título da matéria do jornalão.
Mas ele se esqueceu de um pequeno detalhe, certamente ignorado porque Geraldo faz parte da turma de amigos da publicação: 2014 é ano eleitoral, e o nosso Geraldo quer mostrar aos eleitores que não é essa figura insossa e sem carisma, cujo governo não tem uma marca sequer que entusiasme, que mais parece uma agonia sem fim.
Não é preciso ser nenhum gênio para perceber as razões pelas quais, por exemplo, as obras do metrô, essenciais para a capital, andam em ritmo de tartaruga - elas têm de se adequar ao calendário eleitoral.
Os moradores de São Paulo podem estar certos de que em meados do ano que vem haverá um festival de inaugurações de todos os gêneros - estações e linhas de metrô incluídas, mesmo que sejam do nível da linha 4-Amarela, a mais nova, visivelmente subdimensionada e fonte permanente de problemas para os passageiros.
Isso, porém, não importa, é bobagem.
O que vale para políticos do nível de Geraldo é aparecer bem na propaganda eleitoral, com aquele riso falso, aquele discurso treinado por marqueteiros -alguém já reparou que as frases de Geraldo quase nunca têm verbo, são como slogans publicitários?
Gente como ele não se preocupa nem um pouco com o bem-estar da população.
Como tantos outros que ocuparam antes o cargo de governador, o nosso Geraldo certamente tem outras prioridades na vida.
Arranjar um jeito de ele e a sua turma continuarem a controlar esse maravilhoso palácio de contos de fadas que é dos Bandeirantes é o mais importante de tudo.
O esquema para 2014 está armado.
Além dessa despudorada manipulação dos investimentos, ele conta com uma férrea blindagem dos amigos da mídia, que, por mais incrível que possa parecer, sepultaram completamente o noticiário de uma das falcatruas mais escandalosas dos últimos tempos, essa do metrô paulistano.
Do jeito como as coisas caminham, é grande a possibilidade de Geraldo renovar por mais quatro anos sua estada no Palácio dos Bandeirantes.
Postado há por

sábado, 7 de setembro de 2013

Do Fonte Legítima - Nova trajetória da inflação enterra discurso alarmista da 'turma do tomate'

Nova trajetória da inflação enterra discurso alarmista da 'turma do tomate'

Cinco meses após a polêmica alta do preço do hortifruti, IPCA caminha em direção ao centro da meta de 2013 definida pelo Banco Central e põe fim ao descontrole inflacionário

Bárbara Ladeia - iG São Paulo
Reprodução
Preço do tomate virou piada até no Mais Você, de Ana Maria Braga, mas o valor já voltou a cair

Em março deste ano, o Brasil ganhou uma nova paixão nacional: o tomate. No noticiário, na televisão, nas redes sociais e em todo lugar lá estava o fruto vermelho apontado como uma espécie de mártir da economia nacional . O mal-estar com alta dos preços tomou conta da economia brasileira e houve quem apostasse que o governo se veria obrigado a tomar medidas drásticas para forçar a inflação, ao menos, em direção à meta de 2013, fixada em 4,5% pelo Banco Central.
O polêmico fruto liderou a alta dos preços nos alimentos, com um reajuste médio de 60%, e virou também o bode espiatório de uma inflação supostamente fora do controle. Em artigo publicado na imprensa em abril, o ex-presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luiz Carlos Mendonça de Barros, chegou a cobrar uma solução capaz de dar jeito na “situação limite e perigosa” da inflação abril – ainda que tenha destacado como “rudimentar” o debate proposto “pelos dois lados do espectro ideológico que domina o debate econômico”.
Na televisão, Ana Maria Braga em seu programa Mais Você apareceu fantasiada com um colar de tomates , que seriam “jóias”, dado o alto preço do produto. Na internet pipocaram centenas de campanhas bem humoradas que trouxeram a tona o debate. Enfim, o País inteiro estava discutindo economia – e, em sua maioria, discutindo preços supostamente “descontrolados”.
Na manhã da última sexta-feira (6), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostrou que o caminho que está sendo desenhado pode ser bem diferente da catástrofe anunciada no primeiro trimestre. Mesmo com a leve aceleração de 0,24% nos preços , os números do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) mostram mais uma âncora sob o índice de inflação oficial. No acumulado dos 12 meses, o índice formou alta de 6,09% nos preços – inferior aos 6,27% acumulados em julho e aos 6,7% apontados em junho.
Com análises baseadas no retrospecto de 12 meses, a distância entre a leitura do mercado e os reais números de inflação acaba ficando maior. O economista João Sicsú, professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), lembra que as metas definidas pelo Banco Central valem para o período que compreende entre janeiro dezembro – e não os últimos 12 meses. O traço de tendência acaba desconsiderado, dando espaço para uma análise mais retrospectiva que de fato projetiva. “A meta só é estourada ou cumprida em 31 de dezembro. Até lá, o que se tem é especulação”, diz. “Não há motivo para alarmismo.”

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Tatuí e Região - Entrada da cidade de Tatuí será revitalizada

Avenida Pompeo Reali será revitalizada
Projeto técnico para “nova entrada” da cidade será concluído esta semana

Um dos principais acessos do município será totalmente revitalizado. A recuperação da Avenida Pompeo Reali, que vem sendo planejada pela Secretaria Municipal de Infraestrutura, Meio Ambiente e Agricultura, receberá investimentos de R$ 425 mil, através de emenda proposta pelo deputado estadual, Carlos Cézar. A notícia foi confirmada pelo parlamentar em recente visita a Tatuí, no mês de agosto, e o projeto técnico deve ser concluído ainda esta semana.
Carlos Cézar, que é pastor da Igreja do Evangelho Quadrangular, foi recebido pelo prefeito José Manoel Correa Coelho, Manu. Depois, acompanhado pelo bispo Nilto Alves, e pelo vereador Valdeci Antônio Proença, foi conhecer o projeto e visitou a própria avenida que receberá o aporte de recursos. “É sempre bom contar com deputados da região, interessados e comprometidos com o futuro de Tatuí. Trata-se de uma obra estrutural importante que irá melhorar o trânsito, o fluxo de pedestres e dar uma nova cara a entrada da nossa cidade”, argumentou Manu.
A obra prevê recapeamento de toda extensão da avenida, reforma completa no canteiro central, novo projeto paisagístico, implantação de rotatórias e passeio, para que os pedestres não pisem na grama ou na parte arborizada e tenham ainda maior segurança na travessia, além das faixas de pedestres em formato de teclado de piano. Outra novidade prevista, em parceria com a empresa Rosa, concessionária que detém exclusividade do transporte público, é a substituição dos pontos de ônibus, que também ganharão novo formato, temática musical – além de outras surpresas.

Provisória PSB
A visita do deputado serviu também para ratificar o novo comando do PSB (Partido Socialista Brasileiro) em Tatuí. A sigla, que tem como principal expressão nacional o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, pré-candidato à presidência da República em 2014, terá como presidente do diretório municipal, Antonio Carlos Fiuza Junior, que é diretor de Convênios da Prefeitura. Os demais membros da Executiva são: os vereadores Valdeci Antonio Proença (secretário de Finanças) e Antonio Carlos Prestes, o Toninho Pangaré (secretário Geral), além de Adilson Diniz Vaz, Alexandre Batiston Facioli, Claudete Maria da Porciúncula Fiuza e Vanusa Francisca de Lima Moreira. “O PSB é um partido de novas ideias e novas práticas de gestão, por isso estamos muito estimulados e alinhados com o mandato do prefeito Manu, que vem recuperando os cofres públicos e trazendo dinamismo e inovação para essa cidade tão importante da nossa região”, finalizou Carlos Cezar.  

Alexandre Scalise
Comunicação - Prefeitura de Tatuí

Créditos Fotos
Comunicação Tatuí - Evandro Ananias 

Tatuí e Região - ARTES - exposição "Da Estrada, as Lembranças Gravadas" da Artista Plástica Cibele Pilla.

Alexandre Scalise
Comunicação - Prefeitura de Tatuí

Da Justiceira de Esquerda - YL - PÉROLAS DO PRÍNCIPE: A ‘JENIALIDADE’ DE FHC

A Sintonia Fina reproduz O Conversa Afiada segue na coleta de pérolas reais, em uma série de textos que ressaltam os melhores momentos descritos no Príncipe da Privataria, do jornalista Palmério Dória.
Segue... 
O lançamento do livro do Palmério – que já é o mais vendido da Folha – será no dia 10, terça-feira, a partir das 18h30, na Livraria Saraiva do Shopping Paulista.
Publicado no

terça-feira, 3 de setembro de 2013

INN - VEJA, DISSIMULADA E GOLPISTA !


Do IG - Depois de erros na previsão do PIB, economistas revisam números para 2013

Com viés pessimista, mercado esperava crescimento menor para a economia no segundo trimestre; agora, casas de análise se recolhem para revisão de projeções

Bárbara Ladeia - iG São Paulo
Agência Brasil
Guido Mantega, vê o pessimismo dar lugar a melhores expectativas para números de 2013
Este final de semana foi especialmente reflexivo para analistas financeiros. Após quatro sucessivas revisões – para baixo – nas expectativas de crescimento da economia nacional, esta segunda-feira (2) amanheceu sob a luz de um certo otimismo. Há uma semana, as instituições financeiras consultadas pelo Boletim Focus, do Banco Central, apostavam em um crescimento econômico de 2,2% em 2013 – hoje a média esperada é de um crescimento de 2,32%.
A divulgação do Produto Interno Bruto (PIB) do segundo trimestre, na última sexta-feira (30), serviu para mostrar – mais uma vez – quão frequente é o descompasso entre as previsões de economistas e o ritmo da economia. Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o PIB do Pais cresceu 1,5% no segundo trimestre.
Bancos, consultorias e corretoras previam números muito mais tímidos. É o caso da Tendências, que esperava 0,7% de crescimento. A economista da consultoria, Alessandra Ribeiro, lembra que o PIB do agronegócio foi sua principal surpresa. “São números muito difíceis de monitorar, então o PIB agro sempre nos surpreende, tanto para cima quanto para baixo”, diz.
Em sua revisão de projeções, o ajuste anual foi para cima – ela agora espera 2,4% de crescimento em 2013, 0,3 ponto percentual a mais. Para 2014, Alessandra passou suas projeções de 2% para 2,1%, já impactados pela parada típica dos anos eleitorais. “Algumas concessões, por exemplo, devem sair, mesmo diante de uma suspensão temporária das decisões pesadas de investimentos.” A economista vai na contramão do Focus – que trouxe uma revisão para baixo de 2,4% para 2,3% na previsão de crescimento.
A Austin Rating também fez uma previsão mais conservadora para o segundo trimestre: crescimento de 0,8%. Embora tenha ficado muito abaixo dos 1,5% registrados, Alex Agostini, economista-chefe da Austin Rating, afirma que a instituição estava entre os mais otimistas. Estava, porque agora fizeram novo ajuste – e para baixo. Ele explica que o segundo trimestre foi “anabolizado” por uma ação direta do governo, com desonerações e subsídios de crédito. “Agora sem esses elementos vamos ver uma economia mais fraca”, diz.

CONTINUE LENDO

ARCOIRIS EFEITO

2leep.com

QUAL É A SUA ?

QUAL É A SUA ?
TESTE JÁ ! CLIQUE NA IMAGEM . . .

VISITE O SITE DOS MANOS

VISITE O SITE DOS MANOS
12 anos com a garantia dos manos !

NewsShow Google . . .

MUITO GRATO POR SUA VISITA . . .

IP

BYE BYE 2011 . . .

PORTUGUESE DICTIONARY
Dicio: dicionário de português